Moro absolve mulher de Cabral e não vê lavagem de dinheiro em gastos

Dourados - MS, 15 de junho de 2017


Juiz Sérgio Moro absolveu a ex-primeira-dama Adriana Ancelmo da acusação de lavagem de dinheiro; segundo o magistrado, a esposa de Sérgio Cabral não teria como saber de crimes de lavagem praticados pelo marido; para Moro, as compras milionárias em lojas de grifes não são suficientes para condená-la

Assim como ocorreu com Cláudia Cruz, mulher de Eduardo Cunha, o juiz federal Sérgio Moro absolveu Adriana Ancelmo, mulher do ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral, das acusações de lavagem de dinheiro. Na sentença, Moro alegou não haver ‘prova suficiente de autoria ou participação’ de Adriana nos crimes. O peemedebista, acusado de propina de R$ 2,7 milhões nas obras do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj),da Petrobrás, foi condenado a cumprir pena de 14 anos e 2 meses de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro.

Na denúncia contra Adriana, o Ministério Público Federal listou gastos da família Cabral superiores a R$ 100 mil mensais. Algumas compras teriam sido feitas pela mulher do peemedebista. Da mesma forma como ocorreu com Cláudia Cruz, Moro criticou os gastos da ex-primeira-dama do Rio de Janeiro: “É reprovável que tenha gasto recursos provenientes de crimes de corrupção para aquisição de bens, inclusive de luxo”.

Moro afirma, no entanto, que a ex-primeira-dama não teria como saber de crimes de lavagem praticados pelo marido. Segundo o magistrado, as compras em lojas de grifes não são suficientes para condená-la. “O gasto do produto do crime em bens de consumo não é, por si só, lavagem de dinheiro e não há prova suficiente de que ela participou das condutas de ocultação e dissimulação que caracterizaram esse crime”, afirmou Moro. Adriana, no entanto, ainda responde a outros processos na Justiça do Rio de Janeiro e que é possível que a ex-primeira dama seja condenada.

Fonte: Brasil 247

0 Comentários

Os comentários estão fechados.