. . .

Prefeitura contrata advocacia por R$ 100 mil e MPE-MS vê improbidade

A Prefeitura de Bonito foi recomendada a rescindir um contrato com um escritório de advocacia, avaliado em R$ 100 mil. Segundo o MPE-MS (Ministério Público Estadual de Mato Grosso do Sul), a contratação, que ocorreu sem licitação, constitui improbidade administrativa.

A equipe do escritório foi contratada para recuperar créditos do Fundef (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental) que não teriam sido repassados pelo governo Federal ao município, entre os anos de 1998 e 2002.

Além dos R$ 100 mil que o escritório teve direito pelos serviços, a contratação prevê pagamento de 9% dos números efetivamente recuperados com o Fundo pelo município, a título de honorários.

De acordo com o MPE-MS, os trabalhos poderiam ser “perfeitamente” realizados pelo procurador municipal de Bonito, Dr. José Anezi de Oliveira, e sua equipe de assessores. O órgão lembra que a equipe jurídica custa, junta, R$ 26 mil por mês aos cofres públicos do município.

Na recomendação, o MPE-MS alega que a “terceirização” praticada pelo município seria considerada ilegal pelo TCU (Tribunal de Contas da União), e que até mesmo no Google haveriam modelos de petição para recuperação de recursos do Fundef por agentes municipais.

A recomendação deu prazo de 20 dias para que a Prefeitura de Bonito informe se irá rescindir o contrato e realizar a recuperação judicial por meio da procuradoria do município. Caso o pedido não seja acatado, o MPE-MS pretende ajuizar ações sobre o caso.

Fonte: Midiamax

Posted in MS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close

Garotas FN

O Editor

Samuel Azevedo

Oferecemos aos nossos leitores links para reportagens e artigos, da imprensa nacional e internacional, que consideramos informativos e de boa qualidade. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site.