Nova ministra destina verba pública à tia de sua chefe de gabinete

Parte da cota parlamentar da deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ), escolhida pelo presidente Michel Temer para ser a nova ministra do Trabalho, tem sido direcionada a uma locadora de carros, a Barros & Serra Serviços Executivos Rent a Car, de propriedade de Naida Maria Coelho Serra, tia de Alessandra Serra Gama, que é chefe de gabinete da política.

Mensalmente, o valor de R$ R$ 4.000 vai parar na conta da empresa que, segundo dados da Receita Federal, tem sede em Sobradinho, cidade-satélite de Brasília, em um prédio de três andares. Porém, no espaço, funciona o escritório Lacerda Contabilidade. Não há o menor sinal de veículos, garagem ou balcão de atendimento da locadora.

De acordo com informações da Folha de S. Paulo, no local, uma funcionária disse que a Barros & Serra é cliente do escritório e só declara seu endereço e telefone. Ela passou o número de um telefone que seria o da locadora, mas a ligação caiu no gabinete do deputado Luiz Carlos Ramos (Podemos-RJ).

Era lá que estava lotado, até dezembro de 2016, ainda conforme a Folha, Parmênio Francisco Coelho Serra, outro tio de Alessandra, que já assessorou seis congressistas, ao mesmo tempo em que emitia notas fiscais de aluguel de veículos por outra locadora.

Ele comandava a ARL Barros Serviços Executivos Rent a Car, que saiu de cena após um escândalo sobre locações vir à tona em 2013, o que gerou a abertura de investigações no STF (Supremo Tribunal Federal) e no TCU (Tribunal de Contas da União). Desde então, a Barros & Serra foi aberta, agora em nome de Naida, embora administrada por Parmênio.

“Eu é que tomo conta”, disse. “Os carros estão com os clientes, que são mensais”, completou, ao explicar a ausência de veículos no local.

Perguntado sobre qual é o número da sala supostamente ocupada pela empresa, ele respondeu: “Fica lá no escritório. Liga pro Rogério [dono da empresa contabilidade] que ele te dá”. E se comprometeu a receber a Folha no local, mas em fevereiro. “Tô de férias, amigo”.

Os funcionários da Lacerda Contabilidade informaram ainda que a locadora aluga uma sala no andar de cima, mas ninguém foi encontrado no local ou atendeu às ligações telefônicas.

Procurado, o dono do prédio onde está localizado o escritório de contabilidade afirmou que nenhum dos espaços é alugado para a empresa contratada por Cristiane Brasil.

A deputada apresentou gastos de R$ 29,1 mil com a Barros & Serra. Entregou sete notas fiscais da empresa à Câmara e recebeu reembolso. O grosso dos recursos (R$ 23,1 mil) foi pago entre julho e dezembro de 2017, após a nomeação da chefe de gabinete.

Posse barrada

A Justiça barrou a posse da nova ministra do Trabalho, que ocorreria nesta terça-feira (9).

A decisão de caráter liminar é do juiz Leonardo da Costa Couceiro, da 4ª Vara Federal de Niterói (RJ), que acolheu ação popular contra a nomeação da filha de Roberto Jefferson para o cargo.

Segundo o magistrado, a indicação de Cristiane fere o princípio da moralidade administrativa. Foi estipulada multa de R$ 500 mil em caso de descumprimento da decisão.

Cristiane Brasil foi condenada em 2016 a pagar R$ 60 mil por dívidas trabalhistas para seu ex-motorista, Fernando Fernandes. Ele afirma ter trabalhado sem carteira assinada e cumprido jornadas de trabalho de cerca de 15 horas por dia.

Fonte: Folhapress

Notícias Relacionadas :::

No Comment.