qua. jan 16th, 2019

Não houve ‘debandada’ no Bolsa Família por medo de auditoria do governo

Um boato que circula no Facebook afirma que 520.000 pessoas deixaram o Bolsa Famílianos primeiros sete dias do governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL), com “medo” da auditoria que o pesselista pretende fazer em programas sociais.

“Medo da AUDITORIA causa debandada em beneficiários do bolsa família. Governo Bolsonaro já tira ‘MEIO MILHÃO DE PESSOAS DA POBREZA’ EM APENAS 7 DIAS DE GOVERNO”, diz a lorota.

A notícia falsa foi republicada por vários perfis na rede social. As duas postagens mais populares somam cerca de 4.000 compartilhamentos, a maioria feita a partir da publicação da página “Curitiba Contra a Corrupção”.

Antes de tomar posse como presidente, Jair Bolsonaro anunciou, de fato, que seu governo faria uma auditoria nos programas sociais, incluindo o Bolsa Família, o que não foi feito até o momento – o mais recente movimento nesse sentido foi um “pente-fino” do governo Michel Temer que, em julho de 2018, cortou 5,2 milhões de pessoas que se beneficiavam irregularmente do programa.

“Projeto social tem que ser para tirar a pessoa da pobreza e não para mantê-la num regime de quase dependência. Nós não queremos nenhum brasileiro dependendo do Estado. Logicamente, ninguém será irresponsável a ponto de acabar com qualquer programa social, mas todos serão submetidos a auditorias para que aqueles que podem trabalhar entrem no mercado de trabalho e não fiquem dependendo do Estado a vida toda”, disse Bolsonaro em 24 de novembro.

Apesar das declarações de Bolsonaro, não houve “debandada” alguma entre os beneficiários do Bolsa Família. O número que aparece na notícia falsa é, na verdade, o total de pessoas que pediram o desligamento voluntário do programa social entre 2003 e o fim 2018 por terem melhorado suas condições de vida.

O print screen veiculado pela página “Curitiba Contra a Corrupção” no Facebook mostra uma notícia publicada no portal do extinto Ministério do Desenvolvimento Social em 26 de dezembro de 2018. O texto explica a possibilidade da solicitação de desligamento, cita o número de 520.148 pessoas que o fizeram e narra o caso de uma beneficiária do Bolsa Família que pediu para deixar de receber o valor pago pelo programa.

Procurado pelo Me Engana que Eu Posto, o Ministério da Cidadania do governo de Jair Bolsonaro, comandado pelo ministro Osmar Terra, reitera, por meio de nota, a falsidade do conteúdo:

É falsa a notícia de que o atual governo retirou 500 mil pessoas do Programa Bolsa Família nos primeiros dias de 2019. Esse número (520 mil famílias) representa o total de responsáveis familiares que pediram desligamento voluntário do Programa desde sua criação, em 2003, por reconhecerem que não precisavam mais do benefício. As famílias que desejam sair do Bolsa Família por terem conquistado autonomia e independência devem procurar o setor responsável em sua cidade e solicitar o desligamento. Caso o beneficiário volte a situação de pobreza, tem o retorno garantido ao programa. Nesse caso, nos próximos três anos após a solicitação, o beneficiário retorna ao programa sem ter que passar por novo processo de seleção.

Além do mais, caso fosse verdadeira a informação sobre a “debandada” de beneficiários do Bolsa Família nos últimos sete dias, não faltariam registros da notícia na imprensa profissional – e no Twitter do presidente.

Fonte: Veja

Notícias Relacionadas :::