FATONEWS

Em nota, Detran-MS admite que um em cada quatro servidores é comissionado

Um em cada quatro servidores que hoje trabalham no Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MS) ocupa o cargo por livre nomeação, sem concurso público. Os dados foram divulgados em nota do órgão via assessoria de imprensa, informando que atualmente há 271 comissionados e 761 servidores efetivos em atuação.

A resposta veio após denúncia feita por servidores ao Jornal Midiamax apontando que o órgão se transformou em um verdadeiro “cabide de empregos”, com o ex-diretor-presidente, deputado estadual Gerson Claro (PP), definindo quem ocupa funções estratégicas e arrumando espaço para acomodar aliados políticos em cargos técnicos.

A situação gera grande insatisfação entre os servidores de carreira, que brigavam na Justiça pelo direito a 50% dos cargos de chefia. Contudo, lei enviada pelo Governo do Estado e aprovada na Assembleia Legislativa no final do ano passado destinou o percentual de 30% das vagas de chefia para os concursados, deixando a ação judicial dos 50% sem objeto. Com a alteração, aumentaram também os critérios para que um concursado seja promovido à chefia.

Questionado se há déficit de servidores efetivos e previsão de concurso, o Detran informou que esse assunto deve ser tratado pela Secretaria de Administração e Desburocratização (SAD), atualmente chefiada pelo ex-diretor-presidente do Detran-MS, Roberto Hashioka.

Nomeado após entregar currículo

O mais novo nomeado do Detran é Genis Garcia Barbosa, apoiador eleitoral de Gerson Claro, designado para exercer o cargo em comissão de Gerência Executiva e Assessoramento, símbolo DCA-10, com o decreto 611, assinado pelo governador Reinaldo Azambuja em 27 de fevereiro de 2019.

Genis trabalhou no Detran-MS em Sidrolândia entre 1999 e 2002. Voltou ao órgão nos últimos três anos, na agência do Pátio Central, em Campo Grande, e foi exonerado em 23 de janeiro. Depois disso, conta que apenas levou um currículo ao Detran e foi reconduzido. “Deixei currículo lá para avaliação e me ligaram, não teve indicação”, explica.

Já a explicação do Detran sobre a nomeação de Geni não menciona currículo. “O gerente Genis Garcia Barbosa já era nomeado do Detran-MS e foi exonerado no fim do ano junto de outros comissionados. Agora ele foi reconduzido ao órgão na função de gerente”, diz trecho da nota enviada pela assessoria de imprensa ao Jornal Midiamax.

Apesar de admitir o vínculo eleitoral com Gerson Claro, Genis disse acreditar que o critério foi técnico para conseguir chegar a uma gerência no Detran-MS. Mesmo assim, confessa que nem sabia para que seria nomeado, e que até ele foi surpreendido com o cargo.

“Fiquei até surpreso, né? Porque, de atendente pra gerência… mostra que a gente tem competência”, diz. Ele não possui ensino superior, mas diz que pretende começar pedagogia.

fonte: Mídiamax

Sobre o editor

Maryone Azevedo
Maryone Azevedo
Trabalhando para trazer a verdade ao público!

A verdadeira informação é a salvação de uma nação livre de injustiças!