FATONEWS

Bolsonaro não classificou morte de Marielle como ‘mimimi’

Circula nas redes sociais a “informação” de que o presidente Jair Bolsonaro (PSL) teria declarado que não entendia o porquê de “tanto mimimi” em relação à morte da vereadora Marielle Franco (PSOL). Por meio do projeto de verificação de notícias, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa:

“Não sei porque tanto mimimi… foi apenas mais uma mulher negra que tombou! É a vida amigo”
Frase atribuída ao presidente Jair Bolsonaro em imagem que, até às 14h do dia 14 de março de 2019, já tinha mais de 2,2 mil compartilhamentos no Facebook

FALSO

Não existe registro público de qualquer espécie que comprove que o presidente Jair Bolsonaro tenha dito essa frase sobre a morte da vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ), assassinada no dia 14 de março de 2018, no centro do Rio de Janeiro.

Vale destacar inclusive que, por pelo menos um mês, o então pré-candidato à Presidência da República se absteve de comentar publicamente o crime. Veja a retrospectiva montada a seguir:

Em 15 de março de 2018, no dia seguinte à morte de Marielle, a assessoria de Bolsonaro foi procurada e afirmou que a opinião do político era “polêmica demais” para ser exposta.

Cinco dias depois, em 20 de março, ao falar sobre o assunto pela primeira vez, num breve comentário registrado pelo jornal O Dia, Bolsonaro disse o seguinte: “Eu me resguardo o direito de permanecer em silêncio nesse caso e aguardo a conclusão das investigações”. Afirmava que qualquer posicionamento seu seria distorcido contra ele.

No dia 23 daquele mês, em entrevista ao site Poder360, o ex-deputado afirmou mais uma vez que preferia permanecer em silêncio para não polemizar o assunto.

Foi só em abril do ano passado que Bolsonaro, que Bolsonaro afirmou que Marielle Franco era mais uma entre diversas vítimas da violência observada no Rio de Janeiro. Ao jornal O Globo, ele disse o seguinte: “para a democracia [o assassinato de Marielle], não significa nada. Mais uma morte no Rio de Janeiro”.

Em maio, Bolsonaro voltou a falar do caso, em entrevista a veículos de comunicação de Minas Gerais. Adotou um tom mais crítico. Declarou que a comoção pela morte da vereadora era “demagogia” e que o caso não deveria ser tratado de forma diferente dos demais. Textualmente disse: “não há diferença da minha vida, pra tua, pra Marielle. Não tem diferença nenhuma, somos todos cidadãos. Até por isso fui contra a lei do feminicídio”.

Mas Bolsonaro nunca usou publicamente o termo “mimimi” para tratar da morte de Marielle Franco.

Essa informação também foi verificada pelo Aos Fatos.

Fonte: Yahoo!

Sobre o editor

Samuel Azevedo
Samuel Azevedo
Trabalhando para trazer a verdade ao público!

A verdadeira informação é a salvação de uma nação livre de injustiças!