Quem é a deputada mais rica do Congresso brasileiro?

Eleita pelo PR-GO como deputada federal em 2014 com 118.458 votos, Magda Mofatto foi considerada recentemente a deputada mais rica do Brasil.

Eleita três vezes e com a candidatura cassada em 2007 por suspeita de compra de votos, a mulher tem um patrimônio declarado em R$ 21 milhões, que se divide em uma série de empreendimentos na cidade de Caldas Novas, em Goiás.

Entre os negócios que Mofatto administra estão 11 condomínios, dois hotéis, um parque temático e uma construtora na cidade. Seu primeiro hotel foi construído em parceria com um ex-companheiro, e levou o parte do nome dos dois: Roma, junção de Rodolfo e Magda. O nome do local permanece o mesmo, o que ela diz, em entrevista à revistaÉpoca, que é motivo para o ciúme de seu atual “namorido”, Flávio Canedo, presidente do partido em Goiás.

Canedo foi condenado por torturar um homem, suspeito de roubar uma espingarda. Para arrancar a confissão do homem, ele e mais duas pessoas teriam golpeado a vítima e submergido sua cabeça em uma bacia com água. Eles também são acusados de amarrar a língua do homem com um cordão e a puxar para obter a confissão. Mofatto diz que o processo contra o namorado -que ainda tramita na Justiça- é “perseguição política”.

Armas

Entre as bandeiras defendidas pela deputada mais rica do Brasil está o fim do Estatuto do Desarmamento. “Se todo bandido achar que vai ser recebido à bala, não vai ter meliante querendo correr o risco. Entre nesta luta do PR pela liberação do comércio de arma de fogo”, explica, em um vídeo divulgado em sua página no Facebook, que encena um assalto a um supermercado.

A deputada defende que o porte de arma tenha um processo semelhante ao pedido de carteira de habilitação, “com responsabilidade e teste psicotécnico”, explica. Questionada pela publicação sobre o seu porte de arma, ela explica que não o possui. “Olharam para a minha cara e disseram que eu não poderia. É subjetivo. Ou o policial vai com sua cara ou não”, acusa. Mofatto possui apenas a posse das armas que possui em casa.

Bolsonaro

Foi justamente a defesa pelo fim do Estatuto do Desarmamento que fez com que a parlamentar se unisse ao pré-candidato à Presidência, Jair Bolsonaro. Mofatto participa inclusive de almoços e jantares em apoio ao candidato, chamando a atenção por ser a única mulher nos eventos. Para ela, Bolsonaro é quem conseguirá tratar o tema da segurança pública com a “firmeza necessária”, que “vai dar conta, apesar das besteiras que fala”, indica.

Lula

Antes de declarar seu apoio a Bolsonaro, a deputada afirma que votou em Lula nas duas eleições que ele ganhou. Ela afirma que não aceitou o “desrespeito” do governo do PT em relação ao desarmamento. “O governo desarmou a população, mas não consegue desarmar o bandido”, opina.