sexta-feira, agosto 17

Sem casos de sarampo há 16 anos, campanha de vacinação visa deixar longe de surto

Há pelo menos 16 anos sem casos confirmados de sarampo, Mato Grosso do Sul ainda está entre os Estados livres do surto da doença infecciosa aguda, que atinge principalmente crianças. A preocupação do Ministério da Saúde é imunizar 95% deste público alvo em agosto, já que são mais de mil casos confirmados no Brasil.

Os dados das secretarias municipal e estadual divergem sobre o último caso da doença. A Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) afirma ter registro em 2002 em Campo Grande, e a Ses (Secretaria Estadual de Saúde) diz ter sido em 2000, tendo notificado, daquele ano até 2005, 673 casos suspeitos.

Em todo o país, a campanha de vacinação contra a Poliomielite e o Sarampo será realizada entre os dias 6 e 31 de agosto, com o objetivo de imunizar crianças de 12 meses a menores de cinco anos, ou seja, de quatro anos, 11 meses e 29 dias.

O propósito da campanha é captar crianças ainda não vacinadas ou que não obtiveram resposta imunológica satisfatória à vacinação, minimizando o risco de adoecimento dessas crianças e, consequentemente, reduzindo ou eliminando os bolsões de não vacinados. Não será realizada vacinação contra sarampo voltada para adultos e o Dia D está marcado para 18 de agosto.

Contra a Poliomielite será utilizada a VOP (vacina oral – gotinha) em crianças que já tenham recebido uma ou mais doses de VIP (vacina inativada poliomielite – injetável) ou VOP, independente do intervalo entre a dose da rotina e a ser administrada na Campanha. A VIP será administrada em crianças que ainda não foram vacinadas.

Já contra o Sarampo será aplicada a Tríplice Viral, que protege contra o Sarampo, Caxumba e Rubéola. Para esta vacina, serão seguidas algumas determinações específicas do Ministério da Saúde.

Sarampo

O Sarampo é uma doença infecciosa exantemática aguda, transmissível e extremamente contagiosa, podendo evoluir com complicações e óbito, particularmente em crianças desnutridas e menores de um ano de idade. A transmissão ocorre de pessoa a pessoa, por meio de secreções respiratórias, no período de quatro a seis dias antes do aparecimento do exantema até quatro dias após.

Poliomielite

No que se refere à poliomielite, esta é uma doença infectocontagiosa viral aguda, caracterizada por um quadro de paralisia flácida, de início súbito. Acomete em geral os membros inferiores, de forma assimétrica, tendo como principais características a flacidez muscular, com sensibilidade preservada, e a arreflexia no segmento atingido.

A transmissão ocorre por contato direto pessoa a pessoa, pela via fecal-oral (mais frequentemente), por objetos, alimentos e água contaminados com fezes de doentes ou portadores, ou pela via oral-oral, através de gotículas de secreções da orofaringe (ao falar, tossir ou espirrar). A falta de saneamento, as más condições habitacionais e a higiene pessoal precária constituem fatores que favorecem a transmissão do poliovírus.

Vacinação em MS

Em Campo Grande, pais ou responsáveis devem comparecer a uma das 66 unidades básicas de saúde (UBS/UBSF) com as crianças, levando a caderneta de vacinação para avaliação e registro da vacina.  As salas de vacinação das unidades funcionam de segunda a sexta-feira, das 7h15 às 11h e das 13h às 16h45.

Já nos demais municípios do Estado, é preciso consultar locais e datas específicas de atendimento junto às secretarias municipais de saúde. A distribuição das 400 mil doses é feita pelo Governo Estadual.

Notícias Relacionadas :::