Caso Daniel: acusada apagou mensagens e redes sociais do celular após o crime

O laudo da perícia no celular de Cristiana Brittes, acusada de participação no assassinato do jogador Daniel, em outubro do ano passado, aponta que os aplicativos de mensagens e redes sociais foram apagados do aparelho depois do crime. As informações são do UOL.

A mulher de Edison Brittes, réu confesso do crime, levou o celular a uma assistência técnica em Curitiba em 31 de outubro, quatro dias depois do assassinato, para consertar o microfone do aparelho.

Foi o próprio dono da loja que entregou o objeto à polícia. Ele também vai testemunhar sobre o caso entre 13 e 15 de agosto.

Ainda está pendente, porém, o laudo sobre o local do último sinal emitido pelo celular de Daniel.

O objetivo dessa perícia é checar se havia troca de mensagens relacionadas à morte do atleta. Por causa da desinstalação, os peritos não conseguiram acessar mensagens antigas.

Além de Cristina e Edison, a filha do casal, Alana, também está presa, assim como outras três pessoas acusados de envolvimento no crime.

A perícia confirmou que o aparelho apresentava problema no microfone. Assim, era impossível efetuar gravações de áudio ou vídeo pelo telefone de Cristiana.

Os prints revelados mostram conversas dia 23 agosto de 2017, mais de um ano antes do assassinato. O primeiro mostra Alana conversando com Daniel. O segundo tem Alana falando de Daniel para o pai.

Fonte: Yahoo

Sobre o editor

Maryone Azevedo
Maryone Azevedo
Trabalhando para trazer a verdade ao público!

A verdadeira informação é a salvação de uma nação livre de injustiças!
Últimas Notícias
Leia também:  PRF apreende 34 kg de cloridrato de cocaína na BR-262