terça-feira, agosto 14

Tag: Bolsonaro

Após um mês preso, Lula lidera intenção de votos; sem ele Bolsonaro vence em quase todos os cenários

Após um mês preso, Lula lidera intenção de votos; sem ele Bolsonaro vence em quase todos os cenários

Política, Slider
O ex-presidente Lula, preso na superintendência da Polícia Federal em Curitiba desde 7 de abril, continua liderando a corrida eleitoral deste ano segundo pesquisa CNT/MDA divulgada nesta segunda-feira. No levantamento estimulado (no qual os pesquisadores mencionam o nome dos candidatos) o petista está à frente dos demais concorrentes no primeiro turno com 32,4 % das intenções de voto. Ele é seguido por Jair Bolsonaro (PSL) com 16,7%, Marina Silva (Rede) com 7,6%, Ciro Gomes (PDT) com 5,4% e Geraldo Alckmin (PSDB) com 4%. Os demais candidatos, dentre eles o presidente Michel Temer (PMDB), não alcançaram 1% da preferência dos eleitores. Lula também lidera as simulações de segundo turno, vencendo Alckmin (44,9% a 19,6%), Bolsonaro (45,7% a 25,9%), Henrique Meirelles (47,1% a 13,3%), Marina
Faltas de Bolsonaro ao trabalho quadruplicam, aponta jornal

Faltas de Bolsonaro ao trabalho quadruplicam, aponta jornal

Política
Pré-candidato à Presidência da República, o deputado Jair Bolsonaro (PSL-RJ) está com a agenda cheia de viagens desde o ano passado. Levantamento feito pelo jornal Folha de São Paulo indica que  suas faltas a sessões na Câmara dos Deputados aumentaram quatro vezes em 2017, na comparação com o ano anterior. Suas propostas caíram pela metade no mesmo período, segundo a pesquisa. De 119 dias de sessão que exigiam presença obrigatória, Bolsonaro não foi e não justificou a falta em 16, que representam 13,5% do total. Os dados foram fornecidos pela Câmara dos Deputados ao jornal. Entre os presidenciáveis que têm mandato legislativo – a saber Bolsonaro, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), os senadores Alvaro Dias (Podemos-PR) e Fernando Collor (PTC-AL) e a deputada estadual Ma
Polêmico: Veja frases de Jair Bolsonaro durante coletiva em Dourados

Polêmico: Veja frases de Jair Bolsonaro durante coletiva em Dourados

Destaque, Política
A visita do deputado federal e pré-candidato a presidência da República Jair Bolsonaro foi marcada por manifestações de apoio, carreata e reunião com produtores rurais nesta quinta-feira (7/2). Além disso, o parlamentar disparou respostas polêmicas durante a entrevista coletiva realizada no Sindicato Rural de Dourados. Veja algumas dessas frases: Apoio político – “Quero, mas de todo aquele que não queira colocar as mãos nos cofres públicos”. Reforma da previdência – “Dessa maneira que está, não conta com meu apoio. Quer quebrar o trabalhador para salvar o Brasil? Vai quebrar os dois”. Auxílio moradia - “Eu sou o mais barato em Brasília, apartamento é pequeno”, citando os tipos de auxílio existentes e o que recebe durante a sua estadia na Capital Federal. Reintegração
Bolsonaro: “Se eu assumir, índio não terá mais 1cm de terra”

Bolsonaro: “Se eu assumir, índio não terá mais 1cm de terra”

Dourados
O deputado federal e pré-candidato a presidência da República, Jair Bolsonaro, disse na tarde desta quinta-feira em Dourados que não pretende demarcar terras indígenas, caso dispute e vença as eleições de outubro próximo. A afirmação foi dada durante entrevista na sua chegada ao Parque de Exposições João Humberto de Carvalho, onde palestrará aos produtores rurais. Na opinião do parlamentar, a população indígena é manipulada por agentes políticos e organizações não governamentais para entrar em conflito por grandes propriedades rurais. “As ONG’s e o governo estimulam o índio para o conflito. Se eu assumir como presidente da República, não haverá um centímetro a mais para demarcação. Na Bolívia temos um índio como presidente, porque aqui eles precisam de terra?”, disse aos repór
Bolsonaro diz que usou auxílio-moradia para ‘comer gente’

Bolsonaro diz que usou auxílio-moradia para ‘comer gente’

Destaque, Política
O deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) voltou a defender o recebimento de auxílio-moradia da Câmara, mesmo tendo imóvel próprio em Brasília. Em entrevista à Folha de S. Paulo, o presidenciável disse que pretende vendê-lo e pedir apartamento funcional. Questionado se usou o dinheiro do benefício para comprar seu apartamento, ele respondeu: “Como eu estava solteiro naquela época, esse dinheiro de auxílio moradia eu usava pra comer gente”. No domingo (7) o jornal publicou que o deputado e seus três filhos parlamentares multiplicaram o patrimônio na política, reunindo atualmente 13 imóveis em áreas valorizadas do Rio e de Brasília, com preço de mercado de cerca de R$ 15 milhões. “Chegando lá em janeiro, acabando o recesso [parlamentar], vou pedir o apartamento funcional, inclusive tem mais ou m