terça-feira, agosto 14

Tag: Lava Jato

Suíça confisca conta ‘símbolo’ da Lava Jato no País

Suíça confisca conta ‘símbolo’ da Lava Jato no País

Economia
O Ministério Público de Berna, na Suíça, confiscou, de forma definitiva, a conta de uma empresa de fachada que, segundo as investigações, havia sido aberta pela Odebrecht para pagar as propinas na Petrobrás. Se os valores que restaram na conta - cerca de US$ 2 milhões - são baixos comparado aos montantes já descobertos pela Operação Lava Jato, o confisco da conta é simbólico para uma parcela dos investigadores suíços. Foi por meio dela que a Lava Jato começou a desvendar a logística de pagamento da Odebrecht, investigação que culminou na prisão de Marcelo Odebrecht, herdeiro da empreiteira. O dinheiro confiscado depois de uma longa batalha judicial encerra um capítulo que mudou os rumos da Lava Jato e levou à delação de 78 executivos ligados à Odebrecht. O dinheiro está depositado no
Defesa de Lula pretende usar despacho de Moro em sustentação oral

Defesa de Lula pretende usar despacho de Moro em sustentação oral

Brasil
Em despacho do juiz Sérgio Moro deve ser o alicerce da sustentação oral da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no julgamento no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), no dia 24. O trecho em questão é a resposta de Moro a embargos de declaração apresentados por Lula após a condenação a 9 anos e 6 meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do tríplex. Nos embargos - instrumento jurídico que serve para esclarecer casos de omissão, obscuridade ou dúvida na sentença -, a defesa de Lula questiona Moro sobre a origem do dinheiro usado pela empreiteira OAS para o pagamento de supostas vantagens indevidas ao petista por meio do triplex. Na resposta, o juiz de Curitiba diz nunca ter afirmado que o dinheiro tenha vindo de contratos da empreiteira com
Justiça não autoriza transmissão ao vivo do julgamento de Lula

Justiça não autoriza transmissão ao vivo do julgamento de Lula

Política
A Justiça não autorizou a transmissão ao vivo do julgamento do ex-presidente Lula no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), marcado para o próximo dia 24, em Porto Alegre. Por conta disso, segundo o jornal Folha de S. Paulo, a TV Globo decidiu não alterar sua grade de programação, ao contrário do que fez em eventos políticos recentes como as votações do impeachment de Dilma Rousseff e das denúncias contra o presidente Michel Temer. Fonte: Notícias ao Minuto
MPF pede pena de prisão de 386 anos para Eduardo Cunha

MPF pede pena de prisão de 386 anos para Eduardo Cunha

Brasil
O Ministério Público Federal (MPF) pediu à Justiça Federal que condene os ex-presidentes da Câmara Eduardo Cunha e Henrique Eduardo Alves, ambos do PMDB, a penas de prisão, de 386 anos e 78 anos, respectivamente, em um processo que investiga desvios de recursos do Fundo de Investimentos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FI-FGTS). A Procuradoria da República em Brasília entregou à Justiça as alegações finais no processo que os dois respondem por crimes como corrupção passiva, prevaricação, violação de sigilo funcional e lavagem de dinheiro. Essa é a última etapa antes da sentença da Justiça, que poderá condená-los ou absolvê-los. O MPF pede a devolução, a título de reparação pelos crimes cometidos, de 13,7 milhões de reais no caso de Cunha e de outros 3,2 milhões de reais por
Corte julga caso de Lula com a rapidez de ações mais simples

Corte julga caso de Lula com a rapidez de ações mais simples

Brasil, Destaque
Qual a semelhança entre o processo que acusa o ex-presidente Lula de corrupção e lavagem de dinheiro pelo tríplex em Guarujá (SP) e o que julgou um homem conhecido como "Sid Barbeiro" por recebimento irregular de seguro para pescadores? A resposta: ambos devem ter um período de tramitação similar no TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região) até o julgamento. A previsão para o caso de Lula, que ainda não foi decidido, é de 154 dias. Já Sid Barbeiro foi julgado e absolvido em 146 dias. A diferença é que, ao contrário do pescador, que respondia por estelionato, as ações pelos crimes imputados ao ex-presidente não costumam ser decididas em período tão rápido na corte. Levantamento feito pela Folha de S.Paulo aponta que, em 2017, apenas dois processos públicos por corrupção foram decidi
Moro diz que Lava Jato está perto do fim, descarta política e detona ditadura militar

Moro diz que Lava Jato está perto do fim, descarta política e detona ditadura militar

Brasil, Destaque
Os trabalhos da Operação Lava Jato na primeira instância, em Curitiba, estão se aproximando do fim, declarou nesta segunda-feira o juiz federal Sérgio Moro. Para ele, a expectativa popular deverá voltar-se para julgamentos futuros no Supremo Tribunal Federal (STF). "A Operação Lava Jato em Curitiba está, possivelmente, chegando ao fim. Ainda existem investigações relevantes em andamento, mas uma grande parte do trabalho já foi feito", afirmou Moro em São Paulo, onde esteve para receber um prêmio da Universidade Notre Dame, dos Estados Unidos. Segundo informações reproduzidas pela Agência Reuters, Moro teria dito que está "um pouco cansado" com o trabalho realizado até aqui na Lava Jato, e que a população aguarda pelo julgamento de políticos envolvidos na operação, que caber
Para juristas, carta de Palocci desacompanhada de provas não tem valor jurídico

Para juristas, carta de Palocci desacompanhada de provas não tem valor jurídico

Brasil
Repercutiu nas redes sociais a carta do ex-ministro da Fazenda, Antônio Palocci, na qual faz acusações criminais contra o ex-presidente Lula, principal réu na Lava Jato, além de críticas à gestão de PT no governo federal. Apesar de Palocci se encontrar preso, a carta é redigida em computador, porém assinada de próprio punho pelo ex-ministro. A carta foi tratada como uma bomba pela imprensa, afinal Palocci foi uma das principais, senão a principal figura do alto escalão do governo do PT por muitos anos. A acusação dele representa não apenas uma ruptura com o ex-presidente, mas com a grande maioria da base do partido. Do ponto de vista jurídico, no entanto, a carta veio desacompanhada de qualquer material que desse sustentação às acusações veiculadas aos quatro cantos. Esse mero “detal
Dallagnol compara fases da Lava Jato ao jogo Candy Crush

Dallagnol compara fases da Lava Jato ao jogo Candy Crush

Brasil
Um workshop para ensinar o "método Lava Jato" para promotores estaduais, o procurador da força-tarefa Deltan Dallagnol disse que a operação quer "superar o número de fases do Candy Crush Saga". O jogo, popular no Facebook e em aplicativos, tem mais de 500 fases. A Lava Jato, até agora, teve 45. Dallagnol fez a comparação em uma aula do curso ministrado para 290 procuradores de 25 Estados e o Distrito Federal -apenas Santa Catarina não teve representantes. Procuradores da força-tarefa da Lava Jato são os principais palestrantes. Alguns tópicos ensinados: "técnicas de denúncia" e "aspectos positivos e negativos da divulgação de colaborações premiadas", entre outros. "Muitos [participantes] nunca negociaram uma delação premiada. Queremos permitir que as pessoas conheçam e aperfeiçoem as
Moro nega a Lula acesso integral a sistema de propina da Odebrecht

Moro nega a Lula acesso integral a sistema de propina da Odebrecht

Política
O juiz federal Sergio Moro negou um novo recurso da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, nesta nesta segunda-feira (18). O petista queria ter acesso aos sistemas de contabilidade paralela da Odebrecht. As informações são do jornal O Globo. Como justificativa para o 'não' ao pedido, o magistrado disse não ver sentido relevante na afirmação de que teria alterado a denúncia feita pelo Ministério Público Federal (MPF). Além disso, de acordo com Moro, os sistemas contêm informações de outras investigações da Lava Jato, que não tem Lula como alvo. A reportagem lembra que o juiz já havia autorizado que um perito, nomeado pela defesa do ex-presidente, pudesse ter acesso às informações que estivessem relacionadas apenas com pagamento de propinas que se relacionassem com um imóve
Janot vê pagamentos da Odebrecht próximos de reunião com Temer

Janot vê pagamentos da Odebrecht próximos de reunião com Temer

Política
O ex-procurador-geral da República, Rodrigo Janot, cruzou datas de reuniões relatadas por delatores da Odebrecht com as de pagamentos supostamente feitos pela empreiteira em benefício do presidente Michel Temer e de peemedebistas. Os valores são oriundos de contrato de US$ 825 milhões entre a construtora e a área Internacional da Petrobras, segundo os colaboradores. Janot ressalta que depósitos realizados no exterior pela empreiteira supostamente em benefício do PMDB foram feitos em datas próximas a uma reunião em que o presidente teria comparecido, ao lado de executivos e também dos ex-presidentes da Câmara, Eduardo Cunha e Henrique Eduardo Alves. Comprovantes de pagamentos no exterior, planilhas e os relatos dos executivos da empreiteira embasam a denúncia contra o "quadrilhão do PMDB