segunda-feira, julho 23

Tag: pornografia

A vida secreta de uma ‘webcammer’

A vida secreta de uma ‘webcammer’

Internet
Enquanto seus pais assistem à televisão na sala de casa, Melanie — 32 anos, da província de Jaén, na Espanha — tira a roupa e cobra um euro (3,4 reais) por minuto para mostrar seu corpo no quarto ao lado. Eles pensam que a filha está desempregada há dois anos, quando deixou seu trabalho de secretária. Mas, no momento em que tranca a porta, se transforma em BichitaXXX, uma das estrelas espontâneas espanholas da webcam erótica, a modalidade pornô que melhor tem resistido aos tempos de crise, e que à qual a indústria se agarrou para sobreviver. A transmissão é ao vivo e não pode ser pirateada. Uma prática cada vez mais comum que encontrou um novo canal em sites como Chaturbate ou MyFreeCams, onde milhares de pessoas anônimas instalam uma câmera em casa e conseguem uma renda extra mostrando ce
Quando a pornografia substitui a educação sexual

Quando a pornografia substitui a educação sexual

Internet
Os adolescentes urbanoides dos anos noventa não podiam entrar em discotecas de tênis. Esperavam a bênção do porteiro de plantão na entrada com seus náuticos e botas de laços. Tampouco sem a carteira de identidade. Isso se tivessem a idade permitida, porque muitos usavam o RG do decano do grupo com a esperança de não serem barrados, enquanto o resto cantava a plenos pulmões Zombie, dos Cranberries. Falamos de uma época sem acesso à Internet,sem tablets, sem telefones celulares e, em muitas casas, sem um PC, essa rara avis que arrebatou os corações dos mais freaks da classe, mas que nem todas as casas podiam dar-se ao luxo. Ainda é assim. Naquela época, era difícil imaginar que poucos anos depois apareceriam plataformas como YouTube e Facebook que mudariam a maneira de se relacionar dos j