domingo, Fevereiro 25

Campo Grande

Câmara deve reavaliar contrato de R$ 85 milhões entre Prefeitura e Solurb

Câmara deve reavaliar contrato de R$ 85 milhões entre Prefeitura e Solurb

Campo Grande
O presidente da Câmara dos Vereadores de Campo Grande, João Rocha (PSDB), afirmou que a Casa tem a intenção de reavaliar a legalidade dos valores do contrato entre a prefeitura e a Solurb. A empresa responsável pela gestão de limpeza e manejo do lixo na Capital recebe anualmente o mínimo estimado em R$ 85 milhões do poder municipal, podendo ultrapassar os R$ 100 milhões. Apesar de ser um contrato legitimado judicialmente, ainda que sob polêmicas ao longo dos últimos anos, os vereadores questionam se é possível reduzir esse valor, que é arrecadado através da taxa de lixo, junto ao IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano). “Há intenção de chamar para discussão e reavaliar sim o contrato com a empresa e, se possível, reduzir esse valor”, afirmou Rocha. Após a cobrança errônea, os
‘As quatro filhas de Francisco’: pai pede ajuda para sustentar quatro crianças

‘As quatro filhas de Francisco’: pai pede ajuda para sustentar quatro crianças

Campo Grande, Sociedade
Desesperado pela condição financeira em que se encontra, Francisco Assunção, 31 anos, pede ajuda da população para conseguir continuar sustentando as quatro filhas no bairro Tarsila do Amaral, em Campo Grande. Ele disse ao TopMídiaNews que a mãe das crianças teria abandonado a família em 2016 e não deu mais notícias. “Ela foi embora, não brigamos nem nada, ela só falou que não queria mais continuar vivendo comigo e que também não levaria as meninas. Eu concordei, ela saiu e nunca mais voltou. Nunca mais nem fez contato para saber das filhas. Eu cuido delas desde quando ela foi embora”, conta o homem. O pai cuida de uma menina de seis anos, uma de cinco, uma de três anos e uma bebê de um ano e seis meses. Ele afirma que antes, contava com a ajuda a mãe que acabou ficando doente e hoje
Defensoria segue o MPE e loca prédio sem licitação por R$ 2,5 milhões de empresa criada em 2015

Defensoria segue o MPE e loca prédio sem licitação por R$ 2,5 milhões de empresa criada em 2015

Campo Grande, Slider
A Defensoria Pública de Mato Grosso do Sul seguiu o exemplo do MPE (Ministério Público Estadual) e dispensou licitação para realizar a locação milionária de um prédio no Centro de Campo Grande. Conforme o edital, o órgão vai desembolsar R$ 2,565 milhões pelo período de cinco anos para a empresa ELM Paricipações, criada há cerca de dois anos pela professora Eliza Emília Cesco. Conforme o edital publicado no Diário Oficial do Estado desta terça-feira, o defensor-público geral, Luciano Montalli, dispensou a licitação para realizar a locação do imóvel com 2.060 metros quadrados de área construída. O prédio fica na Rua Arthur Jorge, 779, no Jardim dos Estados. Montalli imitou o procurador-geral de Justiça, Paulo Cezar dos Passos, que alugou o prédio, sem realizar concorrência pública – pe
Marquinhos reduz gasto com segurança e saúde, prioridades na campanha, e amplia verba a vereadores

Marquinhos reduz gasto com segurança e saúde, prioridades na campanha, e amplia verba a vereadores

Campo Grande, Slider
Com o fim da campanha eleitoral e o orçamento impulsionado em 1,59% com a taxação da Netflix, o prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad (PSD), deixou no baú as principais promessas da campanha eleitoral. No primeiro orçamento feita pela sua equipe, o prefeito prevê redução nos investimentos em 12 áreas, inclusive em saúde, transporte e segurança pública. No entanto, o desembolso com os vereadores será maior em 2018, com crescimento de 3,94%, o dobro do crescimento com a receita total. De acordo com o projeto de lei, encaminhado na segunda-feira à Câmara Municipal, o orçamento será de R$ 3,702 bilhões, o que significa aumento de 1,59% em relação aos R$ 3,590 bilhões previstos para este ano. No entanto, o crescimento não será repassado para todas as áreas. Levantamento feito pelo
Além de reativar radares da Perkons, Agetran terá câmeras e “cerca” para caçar carros irregulares

Além de reativar radares da Perkons, Agetran terá câmeras e “cerca” para caçar carros irregulares

Campo Grande
A Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito) demorou dez meses para lançar o edital de licitação dos equipamentos de fiscalização eletrônica, desligados desde dezembro do ano passado. Além de prever o religamento dos radares e lombadas eletrônicas da Perkons, a proposta prevê ofensiva sem precedentes contra irregularidades no trânsito. As inovações vão desde câmeras, que vão flagrar qualquer deslize, até a instalação de cerca eletrônica, que visa flagrar e monitorar todos os carros com algum tipo de irregularidade. Será um choque para o campo-grandense, acostumado a dar jeitinho no trânsito. Os equipamentos serão mais avançados do que os atuais, porque vão dedurar todos os veículos com restrições, como atraso no pagamento do IPVA (Imposto sobre Propriedade de Veículo Automotor