sábado, Fevereiro 24

Com R$ 734,8 mi investidos, Governo entregou 97% das obras inacabadas da gestão anterior

De 215 obras inacabadas deixadas pela gestão anterior, 208 já foram entregues desde que o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) assumiu o mandato, em 2015, o equivalente a 97% do total. O levantamento foi realizado pela assessoria de comunicação do governo, que calcula investimentos em infraestrutura viária e obras civis na ordem de R$ 734,8 milhões.

“Um dos instrumentos para superar a crise é investir na conclusão de obras inacabadas, independente de quem as iniciou. Agora, a gente avança para concluir essas edificações e mostrar para a população que nós temos respeito com o dinheiro público”, destacou Azambuja no lançamento do Programa Obra Inacabada Zero.

Segundo o governo, das sete obras ainda não concluídas, duas estão em execução: a pavimentação das rodovias Passo do Curê (MS-178/BR 267) e da MS-382 (centro de Bonito-Gruta do Lago Azul). Os três presídios em construção em Campo Grande aguardam recursos federais para terem sequência, bem como o segundo trecho da MS-382 (Bonito-Serra da Bodoquena). Já a retomada do Aquário do Pantanal depende de ajustes judiciais.

Hospitais: novos projetos

Os hospitais de Dourados e Três Lagoas, anunciados pela gestão anterior, receberão R$ 115 milhões, entre recursos estaduais e federais. Com novo projeto, o processo licitatório da primeira etapa da obra do Hospital Regional da Grande Dourados (HRGD), foi autorizado em novembro com orçamento de R$ 59 milhões.

Orçada anteriormente em R$ 68,4 milhões, a obra do Hospital Universitário de Três Lagoas já está em execução desde abril deste ano, ao custo de R$ 56,4 milhões, com conclusão prevista para março de 2019. A unidade atenderá também a população de Água Clara, Bataguassu, Brasilândia, Santa Rita do Pardo e Selvíria e o curso de Medicina da Universidade Federal de MS (UFMS), contando com 138 leitos.

Infraestrutura viária

Dentro do programa de Obras Inacabadas Zero, o Governo do Estado retomou 19 projetos de pavimentação de rodovias abandonadas pelas gestões anteriores, concluindo e entregando 274 km de importantes vias de integração regional e escoamento da produção. A melhoria da infraestrutura viária incluiu também a restauração de 102 km de rodovias que se encontravam em situação precária, como a ligação entre Batayporã e Anaurilândia (MS-276).

Foram cumpridos os contratos firmados em 2014, de pavimentação e restauração asfáltica urbana em 35 localidades. O total de investimento em infraestrutura foi de R$ 490 milhões, incluindo ainda a construção de pontes e pórticos e a retomada da última etapa da obra do anel rodoviário no distrito de Indubrasil, na Capital. A indústria Premier Outlet aguardava apenas a construção da rotatória, em execução, para iniciar suas atividades em 2018.

No setor de obras civis, os projetos retomados e concluídos são referentes aos contratos herdados da administração anterior desde o ano de 2010, como a reforma e ampliação do prédio do Complexo Regulador de Saúde e a revitalização do Centro de Convenções Arquiteto Rubens Gil de Camillo, em Campo Grande. São 134 contratos, totalizando investimento de R$ 243,8 milhões, dos quais R$ 25,9 milhões referentes a serviços em execução.

Dentre estas obras, foram executadas e entregues, em 36 municípios, novas edificações, ampliações e reformas de prédios escolares, hospitais, bibliotecas, delegacias de polícia, quartéis do Corpo de Bombeiros, praças, ginásios de esportes, novos blocos da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (Uems), na Capital e no interior; agências fazendárias, agências de trânsito e laboratórios científicos.

Fonte: TopMidiaNews

Notícias Relacionadas :::

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *