quarta-feira, Fevereiro 21

Governo do MS “enforca” pequenos empresários com juros e multas exorbitantes

Governo de MS não tem pena do contribuinte

Enquanto o governador de Mato Grosso do Sul anuncia um governo de ação, com obras e mais obras caríssimas, tal como o término do Aquário onde irá gastar mais R$ 40 milhões inúteis a população, o mesmo governo arrocha a cobrança em cima de pequenos empresários com dividas junto a SEFAZ, penhorando os poucos bens que os mesmos possuem e cobrando juros e multas que beiram sacanagem de filme pornográfico.

Recentemente, o nosso governador havia autorizado um REFIS para os devedores do Estado e, os que  não aderiram ao programa estão começando a receber as visitas nada cordiais dos oficiais de justiça com os Termos de Penhora de automóveis, casas, contas bancarias e outros bens que possua. Simplesmente uma vergonha, num Estado que grita estar em crise e gasta R$ 40 milhões em um Aquário que só beneficia empreiteiras, que gasta R$ 280 milhões para manter um TCE, que compra kits e camisetas escolares a preços que não condizem com valores reais do atacado, que não investe em saúde de qualidade… São tantos os problemas do Estado de MS que se fossemos enumerar todos iria se ocupar milhares de linhas desse artigo.

Neste carnaval, o nosso governo, que alega crise financeira e que cobra dos pequenos empresários e comerciantes impostos com juros abusivos, deu para os blocos de carnaval do Estado R$ 800 mil. Parece um valor irrisório, mas diante da crise e do desemprego que assola as famílias este valor podia ser aplicado de forma correta em assistência social.

Este é o Estado em que empresários e comerciantes devem pensar muito bem antes de aqui investir, pois possui uma carga tributaria exorbitante, uma fiscalização aterradora e um governo mão de ferro que não apoio os pequenos empreendedores e mantem uma agenda fiscal que tritura qualquer forma de sobrevida ao pequeno investidor. Possuímos um ICMS mais caro que muitos Estados brasileiros, possuímos um governo que gasta de forma desorganizada e que possui uma maquina estatal inchada, pouco eficaz e caríssima ao contribuinte.

Este é o Estado que empresários já foram obrigados a pagar propinas e após denunciarem o caso de repasses ilegais a agentes do alto escalão do governo (matéria divulgada ate mesmo no Fantástico), os investidores foram perseguidos pelos órgãos públicos e agentes do governo recebendo multas e ate mesmo o encerramento das atividades, já que aqui neste Estado quem denuncia atos de corrupção contra o governo local sofre severas punições dos próprios órgãos públicos.

Ao contribuinte sul-mato-grossense resta buscar esclarecimentos juntos aos portais de transparência e exigir que o governo tenha responsabilidade em seus gastos, que aplique o dinheiro público de forma a melhorar a qualidade de vida da população, que o governo reveja os contratos milionários com empreiteiras que beiram a palhaçada com o contribuinte e que o atual governo modere os gastos desnecessários com a máquina pública e assim já se pouparia milhões de reais. Que a população exija de nossos deputados respeito ao voto popular e trabalhem em favor do povo e não como mordomos do governador, aceitando todo tipo de perversão e arrocho contra o povo para beneficiar alguns poucos que hoje nos governam como se fossemos bois confinados.

Está na hora de darmos um basta a tantos erros no governo estadual, no governo federal e nos municípios. O povo tem que reagir. Os comerciantes, empresários e investidores precisam reagir contra governos mesquinhos, gastadores e achacadores do povo.

Fonte: Samuel Azevedo / Editor

Notícias Relacionadas :::