quarta-feira, Fevereiro 21

Moradores do PR montam ONG para evitar invasões indígenas

Cansados de presenciar invasões em áreas pública e particulares, moradores dos municípios de Guaíra e Terra Roxa, no Paraná, resolveram montar uma organização para evitar que mais terras fossem tomadas. Chamada de Ongdip (Organização Não Governamental de Garantia ao Direito de Propriedade) a organização é composta de 500 moradores.

De acordo com uma das fundadoras da organização não governamental Luciane Possan Weber, os índios que constantemente tentam invadir áreas no município de Guaíra são oriundos de Mato Grosso do Sul. Indagada sobre como ela tem certeza que os indígenas são daqui ele afirma com convicção que não há registro de índios no município paranaense. “Nunca existiu índio me Guaíra. Eles mesmos falam que são de Tacuru, de Iguatemi e até do Paraguai”, diz.

Ela conta que as invasões em uma área pertencente empresa Matte Laranjeira, que foi doada em comodato para a prefeitura, começaram em 2010. Após invadir a área de comodato, Luciane explica que mais índios foram chegando e invadiram também a área de reserva legal da propriedade. Na semana mais um grupo de índios tentou inmvadir uma área da empresa arrendada por produtores ruarais.

Luciane destaca que há 4 anos a empresa conseguiu o direito de reintegração de posse da área, mas até o momento os índios não foram retirados da propriedade. Cansados da omissão do poder público, Luciane conta que então resolveu montar uma associação onde uniria forças com outros moradores.

“Nós formamos uma associação que hoje tem mais de 500 associados e é ela que vem impedindo as invasões. Não são só produtores, a sociedade toda está envolvida nisso”, explica. Ainda segundo Luciane, a comunicação entre os associados acontece pelo WhatsApp e assim que recebem a informação de uma nova tentativa de invasão, o moradores se mobilizam até o local, desmontaram as barracas e obrigam os indígenas a deixar a área.

Fonte: JD1 Notícias

Notícias Relacionadas :::

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *